sexta-feira, 29 de março de 2013

Única - Década de 1970

quinta-feira, 28 de março de 2013

Rondônia - Década de 1970

A conquista do oeste, ainda em plena década de 1970


segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Cometa em 1960

Correio da Manhã, 14 de maio de 1960.
 
O primeiro trecho da Fernão Dias foi entregue em 1959, sendo finalizada somente em 1961.

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Brasil: Planalto disponibilizará acesso à internet em toda sua frota

19/11/2012 - Fortalbus

Atualmente, mais da metade dos ônibus da Planalto Transporte conta com acesso à internet disponibilizado aos passageiros. A totalidade da frota deve estar equipada com a tecnologia nos próximos meses, adianta o diretor-presidente do Grupo JMT (controlador da empresa), Pedro Antonio Teixeira.

A empresa tem no momento cerca de 270 ônibus e 980 funcionários. O diretor-presidente do Grupo JMT enfatiza que a Planalto vem trabalhado na renovação dos ônibus. Nos últimos cinco anos, a companhia investiu em torno de R$ 100 milhões nessa meta. Segundo ele, o objetivo é manter o nível de investimentos nos próximos anos para conservar a idade média da frota entre quatro e cinco anos.

Quanto ao transporte rodoviário de passageiros, a Planalto opera hoje em 123 cidades brasileiras e 11 no exterior, através da disponibilização de 79 linhas. Para esse ano, a expectativa é que cerca de 4,67 milhões de passageiros sejam transportados pela empresa, em 2011 foram cerca de 4,65 milhões.

Entre as principais linhas realizadas pela companhia, a partir de Porto Alegre, encontram-se cidades como Rio Grande, Santa Maria, Uruguaiana, Itaqui, São Borja, Alegrete, entre outras. Teixeira também ressalta que nos municípios de Porto Alegre e Santa Maria a companhia conta com salas VIP para os usuários, espaços que oferecem atrativos como ar-condicionado e televisões.


O dirigente comemora os resultados da pesquisa de satisfação dos clientes em 2012, encomendada pela companhia, que apontou um percentual de 91,6% de satisfação. Realizada pela empresa Allcon-Cience, os pontos mais importantes indicados pelos passageiros foram: conforto, segurança e higiene no interior do veículo. Teixeira comenta que o estudo serve para ter um retorno das práticas adotadas e corrigir os eventuais problemas.

Quanto às ações que precisam ser feitas para aprimorar o transporte de passageiros no País, o dirigente defende que é necessário realizar mais investimentos em rodovias e destaca que a cada ano aumenta o fluxo de veículos pelas estradas brasileiras. Ele cita, no Estado, como empreendimentos importantes a Rodovia do Parque (BR-448), a duplicação da BR-116, entre Porto Alegre a Rio Grande, e a segunda travessia sobre o Guaíba.

Sobre a nova lei 12.619/12, que regulamenta a profissão dos motoristas e estabelece limites quanto à carga diária de trabalho, Teixeira informa que a empresa já realizava o controle de jornadas e não deverá haver maiores problemas para se adequar à norma. Além da Planalto Transporte, as principais empresas que compõe o Grupo JMT são a: Planalto Encomendas (mercadorias) e a Veisa (concessionária de veículos Mercedes-Benz). O grupo atua ainda em outros negócios como operador de turismo.

Pioneirismo e trajetória visionária superaram carência de infraestrutura
"Quando a empresa nasceu, se faziam linhas de ônibus quando não se tinha estradas, pontes ou muitos passageiros", recorda o diretor-presidente do Grupo JMT, Pedro Antonio Teixeira. O pai do dirigente, José Moacyr Teixeira (cujas iniciais deram nome ao grupo), foi um dos fundadores da Planalto no distante ano de 1948.

Inicialmente, a companhia fazia o percurso de Santa Maria a Santo Ângelo. Teixeira destaca que foi uma trajetória pioneira, visionária, porque era uma época em que se precisava enfrentar as carências de infraestrutura e até mesmo de veículos. Em 1951, a Planalto passou a fazer a viagem de Porto Alegre até Santa Maria. Passava-se por três balsas nesse caminho e a viagem iniciava às 5h da manhã e terminava às 17h, se não houvesse algum contratempo.

Depois vieram outras linhas, ligando Santa Maria e Porto Alegre a outros municípios. Teixeira lembra que a companhia também inovou ao fazer o transporte noturno para distâncias maiores. Ele reitera que a ideia está dentro de um conceito ainda atual que a noite é mais adequada para fazer esse serviço, já que as pessoas podem descansar durante o trajeto.




Enviado via iPhone

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Insegurança leva passageiros a dormirem dentro de rodoviária

Insegurança leva passageiros a dormirem dentro de rodoviária

16/11/2012 - O Globp

Consórcio Novo Rio prepara espaço que poderá abrigar a futura sede de UOP

Cochilo desconfortável. Espremido num banco, o pedreiro Mauro César Souza dorme à espera do ônibus para o Piauí: passageiros improvisam de madrugada na rodoviária Fernando Quevedo / O Globo

RIO Moradores de rua, usuários de drogas, iluminação precária e sujeira são alguns dos problemas que compõem, no entorno da Rodoviária Novo Rio, um cenário nada convidativo para quem opta por deixar a cidade de ônibus em feriadões como o que começou na quinta-feira. O quadro de abandono já mexe até nos hábitos de passageiros: quem viaja nas horas antes do amanhecer agora procura chegar cedo e dorme improvisadamente em bancos ou em cima de malas dentro do terminal. Em levantamento realizado há cerca de um mês, o Consórcio Novo Rio detectou que 82% das reclamações de usuários dizem respeito a questões ligadas à falta de segurança na região. À frente das obras na área que será conhecida como Porto Olímpico, a concessionária responsável pelo projeto de revitalização da Zona Portuária prepara um espaço que poderá abrigar a futura sede de uma Unidade de Ordem Pública (UOP).

Já está quase pronta uma sede temporária para essa unidade nas proximidades da Cidade do Samba. A partir do ano que vem, vamos trabalhar no terreno que abrigará o Porto Olímpico e que terá uma grande sede definitiva para ser usada pela prefeitura perto da rodoviária adiantou o presidente da Concessionária Porto Novo, José Renato Ponte.

Segundo a assessoria de imprensa da Secretaria Especial de Ordem Pública (Seop), a prefeitura ainda estuda se será instalada uma UOP ou uma inspetoria comum da Guarda Municipal no local.

Até carrinho improvisado como cama

Na madrugada de ontem, a quantidade de pessoas dormindo na rodoviária à espera dos ônibus dava ao terminal uma cara de hotel improvisado. Com viagem para Paraty programada para as 3h, a gerente Juliana Jatobá, de 33 anos, improvisou uma cama. Pegou um carrinho para bagagens, colocou sua mochila como encosto e deitou. Essa foi a maneira mais confortável que ela encontrou para esperar o tempo passar. Viajando sozinha, ela preferiu chegar horas antes da partida do seu ônibus por medo da violência na região.

Eu prefiro chegar cedo por causa da violência. A região em que fica a rodoviária é muito perigosa contou Juliana, que ainda reclamou da falta de estrutura do terminal para receber pessoas que precisam ficar bastante tempo no local. O conforto aqui é zero.

As dezenas de pessoas que se espremem nos bancos também têm outros motivos para dormir na rodoviária, mas preferem se arriscar pouco do lado de fora. Traídos pela cultura brasileira de deixar tudo para a última hora, os pedreiros José Henrique de Souza, de 25 anos, e Mauro César Souza, de 36, esperaram 11 horas e 13 horas, respectivamente, para embarcar. Os amigos terminaram uma construção na Barra da Tijuca e seguiam para suas terras natais, Aracaju, em Sergipe, e Teresina, no Piauí. Eles chegaram à Novo Rio às 20h, para viajar nos ônibus das 22h e 23h, mas não havia mais passagens. Precisaram esperar até a manhã para iniciar a viagem.

Até deitamos no chão para descansar um pouco, mas o segurança mandou que levantássemos. Tentei dormir aqui neste banco de ferro, mas não consegui. E fiquei com dor no corpo contou Mauro César, que ficará pelo menos dois dias dentro do ônibus.

No levantamento feito pelo Consórcio Novo Rio, entre os 82% de reclamações relacionadas à insegurança no entorno, as principais queixas ficaram por conta de viciados em crack, táxis piratas, cambistas de passagens, prostituição e assaltos. O consórcio não quis, porém, comentar esses problemas. Sobre a segurança interna, explicou que faz o monitoramento com 55 câmeras que gravam 24 horas por dia todas as instalações do terminal, além dos 17 homens da segurança patrimonial e a presença de patrulhamento dos policiais do Posto de Policiamento em Áreas Turísticas da PM.

A Guarda Municipal explicou que monta esquemas especiais nos feriados. Ontem e no próximo dia 20, por exemplo, um efetivo de 26 homens foi programado para atuar 24 horas, em turnos, nas vias próximas à rodoviária, como Avenida Francisco Bicalho, Avenida Rodrigues Alves e Rua Equador. A assessoria de imprensa da PM informou que atua com o posto de policiamento e que são realizadas rondas constantes em todo o entorno da Novo Rio. Durante os seis dias deste feriado prolongado, são esperados cerca de 403 mil passageiros no terminal. Haverá 13.334 ônibus disponíveis, incluindo um esquema com 2.500 horários extras.

Iluminação e calçadas novas

Intervenções urbanísticas no entorno da Rodoviária Novo Rio estão sendo realizadas pela concessionária Porto Novo e devem começar a ser inauguradas nos próximos meses. O trecho da Via Binária que passará atrás do terminal será inaugurado até maio, com postes de iluminação a LED e fiação subterrânea, além de calçadas em granito. Está prevista ainda a construção de uma praça a cerca de 300 metros da rodoviária, como explicou o presidente da Concessionária Porto Novo, José Renato Ponte:

Essa área receberá prédios que vão abrigar os árbitros e parte da mídia durante as Olimpíadas. O entorno da rodoviária ganhará importância ao se tornar a porta de entrada para a Região Portuária, após a demolição da Perimetral.


Enviado via iPhone

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Rodoferroviária de curitiba completa 40 anos

13/11/2012 - Prefeitura de Ciritiba

Ao completar 40 anos, o terminal passa pela sua primeira grande revitalização.

A Estação Rodoferroviária de Curitiba completa 40 anos de funcionamento nesta terça-feira (13), e é a principal referência para quem chega à cidade em um dos ônibus das 35 empresas que atendem linhas intermunicipais, interestaduais e internacionais, e que também partem do terminal com área de 72.160 metros quadrados 25,6 mil deles de área construída -, além dos 10 mil metros quadrados de área verde.

Desde sua instalação, conforme os decretos 184, de 1972, e 90, de 1976, a Prefeitura de Curitiba delegou à Urbs Urbanização de Curitiba S/A, as atribuições de operar e administrar o terminal rodoviário.

Projetado pelo já falecido arquiteto Rubens Meister, o complexo foi construído às margens da avenida Presidente Affonso Camargo pela Construtora Pussoli Ltda, dividido em três alas interestadual, estadual e ferroviária, além do prédio central, em formato de cubo, hoje ocupado pela direção da Urbs. A primeira saída de um ônibus rodoviário do novo terminal foi numa quinta-feira, 26 de outubro de 1972, mas a inauguração oficial foi numa quarta-feira, 13 de novembro do mesmo ano.

Até então, o Terminal Guadalupe, na rua João Negrão, inaugurado em 1958 pelo então prefeito Ney Aminthas de Barros Braga, era o ponto de chegada e saída de ônibus rodoviários. O novo complexo então construído no antigo bairro Capanema, hoje Jardim Botânico, dispunha de uma completa infraestrutura então inédita na cidade, dispondo de um total de 50 plataformas 25 na ala interestadual, e outras 25 na ala estadual, além de lanchonetes, restaurantes e serviços casa lotérica, posto da Polícia Militar, bancas de revistas, lojas de artigos para presentes e lembranças.

Ao completar 40 anos, o terminal passa pela sua primeira grande revitalização. Considerado pela Urbs uma pequena cidade que precisa ser bem administrada 24 horas por dia para atender as cerca de dez mil pessoas que diariamente circulam embarcam em aproximadamente 350 ônibus com direção aos mais diversos destinos, diz o diretor de Planejamento e Desenvolvimento da Urbs, Fabiano Braga Côrtes Júnior. Os trabalhos, que fazem parte da preparação para a Copa do Mundo da FIFA 2014, devem estar concluídos em setembro de 2013.

O que muda A revitalização da Rodoferroviária de Curitiba será feita a partir da adequação do sistema viário do entorno e da mudança de uso e melhor aproveitamento de espaços. O passo inicial foi dado em 21 de junho deste ano, quando, em Brasília, a ministra Miriam Belchior, do Planejamento, e o prefeito Luciano Ducci assinaram o termo de cessão do terreno da Rodoferroviária ao Município de Curitiba. O projeto de revitalização do terminal é do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), preservando-se, porém, o projeto original de Rubens Meister.

Quando concluídos os trabalhos, os usuários contarão com 16 conjuntos sanitários (oito masculinos e oito femininos, além de mais oito entre deficientes físicos e fraldário), 560 assentos na área de embarque, praça de alimentação climatizada com 142 metros quadrados, novos estacionamentos, além de um restaurante para 56 pessoas. As salas de espera, conforme projeto do Ippuc, serão climatizadas, oferecendo completo conforto e comodidade aos passageiros.

A sala de embarque será na parte interna do piso térreo, e terá acesso exclusivo e climatizada, controlada por catracas com leitura por código de barras. Atualmente esses embarques ficam acumulados perto dos ônibus e a aglomeração de pessoas é muito grande na véspera de feriados ou no período de férias.

Na parte térrea externa, hoje ocupada pelos guichês das empresas de ônibus, serão instalados pontos de comércio e serviços. A venda de bilhetes passa a ser feita no piso superior. Quando os trabalhos de revitalização estiverem concluídos, os usuários poderão contar com quatro elevadores capazes de transportar os passageiros e suas bagagens, bem como quatro escadas rolantes e uma nova passarela com plataforma elevatória que será para uso de pessoas com deficiência.

Outras mudanças Além da sala de embarque separada, haverá uma área exclusiva para desembarque com plataforma para 10 ônibus, sem acesso aos que se dirigem ao embarque. Além de uma central telefônica concentrada e de espaço exclusivo em que serão instalados 10 caixas eletrônicos, acompanhantes dos que viajam ou chegam contarão com espaços exclusivos de estar fora da área de embarque.

Além de uma nova central de informações, a Rodoferroviária revitalizada contará também com cafeteria e revistaria instaladas tanto em espaços exclusivos de embarque como fora deles. O espaço comercial englobará uma farmácia e mais sete espaços com cerca de 35 metros quadrados cada, no pavimento térreo.

A administração do terminal também ganha espaço novo, devendo ser readequados os espaços a serem ocupados pela Polícia Militar, o Juizado de Menores, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), o Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PR) e organismos afins.

Área externa Dentro do programa de revitalização da Rodoferroviária está também a área externa repaginada, com estacionamento dotado de 278 vagas, além de outras nove para deficientes e 63 vagas rotativas. Os táxis ocuparão um espaço mais separado da entrada dos carros. Todo o paisagismo do terminal também será revitalizado, enquanto um novo estacionamento, subterrâneo, sob a avenida Presidente Affonso Camargo, contará com 450 vagas. O projeto prevê ainda a criação de uma ciclovia defronte ao terminal, e a instalação de um bicicletário no complexo rodoviário.

Infraestrutura A grande revitalização que ocorre quando a Rodoferroviária completa 40 anos, prevê, conforme o projeto do Ippuc, várias intervenções na infraestrutura, como a cobertura, substituindo-se as atuais telhas de amianto por um novo material com isolamento térmico e acústico. Até o término dos trabalhos já terão sido reformadas as instalações elétricas, hidráulicas, de sonorização, da rede de fiação, com troca também das caixas de som e da iluminação em geral. Outro benefício será o do reaproveitmento das águas pluviais.

Em todo o complexo serão instaladas telas e monitores, nas áreas comuns, a exemplo dos aeroportos, para divulgação dos horários de saída e chegada dos ônibus. Esse serviço será interligado ao já existente sistema de operação de plataformas. As mensagens e serviços, futuramente, serão repassadas aos passageiros e demais usuários em diversas línguas.

Eventuais quedas de energia elétrica serão contornadas com a instalação de um moderno grupo de geradores capaz de atender todo o terminal. Além da nova e moderna comunicação visual, que permitirá ao viajante encontrar rapidamente os serviços disponíveis, os novos relógios instalados nas plataformas serão digitais.

Números A Rodoferroviária de Curitiba ocupa endereço estratégico, porque o acesso ao terminal é feito fácil e rapidamente por intermédio do Sistema Integrado de Transporte. Quem desembarca no Aeroporto Internacional Affonso Pena, no vizinho município de São José dos Pinhais, chega à rodoviária com ajuda de ônibus executivos que ligam os dois terminais, ou com o ônibus Linha Direta Aeroporto o popular Ligeirinho -, que sai do terminal aeroviário e para na estação-tubo Rodoferroviária, que fica na esquina da avenida Sete de Setembro e a rua Mariano Torres, a 100 metros dos ônibus rodoviários. Da rodoviária também não há qualquer dificuldade em chegar ao centro da cidade e à vasta rede hoteleira.

As empresas interestaduais atendem 62 linhas; as intermunicipais, ou seja, as que operam exclusivamente dentro do Paraná, 85 linhas, e as internacionais, cinco linhas com seis horários/dia de forma alternada. Há ainda outras 36 linhas em trânsito.

Em novembro de 1972, quando a Rodoferroviária foi inaugurada, dando início às operações em substituição ao velho Terminal Guadalupe, o movimento, de 13 a 30 daquele mês, somou 22.007 saídas, 18.717 chegadas, 361 ônibus em trânsito, totalizando 41.085 coletivos. No mesmo período houve 403.640 embarques, 459.627 desembarques, 8.009 pessoas em trânsito, totalizando 961.276 passageiros. Em 40 anos de funcionamento, o maior movimento de ônibus na Rodoferroviária verificou-se em 1987, quando 394.045 coletivos chegaram e saíram do terminal. O movimento recorde de embarques, desembarques e pessoas em trânsito também foi apurado em 1987, contabilizando 11,5 milhões de passageiros.



Enviado via iPhone